Duas ou três coisas que sei sobre Propriedade Intelectual


Hoje, 26 de abril, é o Dia Mundial da Propriedade Intelectual.

Minha trajetória em Comunicação sempre esteve ligada à cultura, ao entretenimento, tecnologia e inovação. Mas foi só em 2016, trabalhando diretamente com Propriedade Intelectual, que entendi as implicações da proteção e gestão de ativos intelectuais.

Foi aí que conheci um mundo que ia muito além do direito autoral, de imagem e do licenciamento. Mergulhei no universo das marcas, patentes, indicações geográficas e desenhos industriais – e não saí mais.

É impossível falar de marca, de branding, de logotipo, de nome de negócio, sem falar de proteção à propriedade intelectual. Taí um monte de marcas e negócios com domínio registrado, logotipo feito por profissional, e tendo que mudar de nome porque não registrou.

(eu mesma não registrei a minha marca, mas aí é porque desisti de investir nela para ficar só na @firmforward mesmo – segue a gente lá se você é advogado ou advogada e quiser saber mais sobre marketing jurídico e desenvolvimento de negócios).

Então, amg, se você empreende, se você tem um negócio, se você pretende construir algo, tente aprender um pouco sobre propriedade intelectual – pelo menos pra não perguntar no Facebook “como eu patenteio uma marca” (spoiler: requerimento de patente e registro de marca são coisas diferentes).

Lá no Instagram um bom perfil para seguir é o da https://www.instagram.com/pinc_.

Eu sou só uma especialista em Comunicação.

Mas sem pensar em propriedade intelectual vai ficar muito mais difícil levar sua mensagem adiante.

Beijoca,
Lia