Projeto Autoajuda: visualizações e sorte


Com essa história de morar em outra cidade, ainda que o acesso ao meu local de trabalho seja até mais fácil do que pra muita gente que mora no Rio mesmo, tenho lutado contra a falta de tempo pra fazer o que eu quero – e são muitas as coisas que eu gostaria de poder fazer. Escrever mais, cozinhar (chego em casa cansada demais pra isso), ver mais filmes e séries… Tá dureza. Da hora em que acordo, já na pilha de tomar banho e engolir o café da manhã, até a hora em que chego em casa, lá se vão 13 HORAS DO MEU DIA. Faça as contas e descubra quanto tempo passo com meu marido e minha família e quanto tempo tenho pra dormir. Yay! – só que não. Desenhar, escrever, profissionalizar uns hobbies… Vai ficando complicado.

(esse post foi inteiramente digitado no celular enquanto pego a barca, enquanto rodo bambolê em casa, ando de busão… Pq o celular cabe na bolsa, na mão… a tecnologia existe pra me ajudar a otimizar minha vida, não é minha vida que precisa girar em torno dela… certo?)

Uma das minhas questões – que preciso resolver – é a do dinheiro e da prosperidade: tenho planos que só podem ser executados com um pouco mais de verba do que levanto atualmente com meu emprego 9h às 19h. Também tenho produtos à venda, mas pouco tempo para marketea-los adequadamente. Acredito na renda passiva, mas agora está fora de cogitação – ou escrevo um e-book ou janto, tomo banho e fico um pouquinho com meu marido. O livro acaba ficando em segundo plano.

Então resolvi apelar para a mentalização e a manifestação do dinheiro. Porque isso aqui é o Projeto Autoajuda, né? Se dá certo nos livros…

Tenho feito a técnica dos Abraham-hicks. Tenho usado as dicas que tenho lido por aí, de como manifestar dinheiro de forma objetiva. E os resultados ainda podem melhorar, mas já consegui vender muitos bambolês essa semana; e ontem mesmo fiz uma venda muito doida de maquiagens – eu estava sentada numa mesa e as clientes simplesmente apareceram, experimentaram e fizeram encomendas. Muitas. Em um tempo recorde. Milagre? Universo conspirando a meu favor?

Sim. Não. Quer dizer, talvez.

E é aí que o projeto Autoajuda faz sentido. Eu posso acreditar que visualização e manifestação de dinheiro na minha vida funcionam, e vender essa ideia de forma simplista e milagrosa, como muitos autores fazem. Normal, as pessoas querem fazer o que traz resultados. Mas também posso tentar entender como isso funciona – se é que funciona mesmo, e não sou só eu sendo otimista. Porque eu sou otimista. Na verdade, tenho mais facilidade em aceitar teorias com fundamento científico. E se você também tem essa necessidade de entender as coisas antes de acreditar nelas, vem comigo. Vou te explicar como a visualização funciona.

Funciona porque eu acredito. 🙂 mas não acho que tem nada de místico e esotérico nisso. É simplesmente porque, se não acreditasse, talvez não tivesse me empenhado em atender esse fluxo de clientes de uma maneira simpática e personalizada, de modo a gerar recomendações; em criar essa carteira diversificada de produtos; em estabelecer uma meta factível, em vez de tentar me enganar viajando na possibilidade remotíssima de tirar meu saldo e descobrir um milhão e meio na conta. Com essa meta factível, eu sei o quando devo trabalhar pra conseguir, e foco em conseguir, e não em não ter. Tirando o foco do problema e focando na solução, eu não tenho problemas (Yay) e a cabeça funciona melhor. Na hora de atender aos pedidos e prestar atenção nas oportunidades, ainda mais com essa minha agenda louca, manter a cabeça focada é fundamental.

E os pedidos chegam porque eu tenho sorte. Só que, pra mim,

Sorte é reconhecer uma oportunidade quando ela aparece.

Com um pouquinho de planejamento para caso o acaso me sorrisse (como sorriu), eu tinha vários cartões de visita comigo. Se precisar, tenho como acessar o catálogo com os produtos de onde eu estiver. Porque não sei se adianta muito ter sorte e não estar preparado para lidar com ela, pra colher os louros.

Sorte também é planejamento. Naquelas, né? Se planejar muito, planeja, planeja, e não executa nunca. Mas é bom se prevenir. “por sorte, trouxe comigo”. Sorte, não: sabedoria.

Então é isso. Visualize. Manifeste. Mas visualize e manifeste – e aja como alguém que realmente quer.
E esteja preparado para conseguir. Não adianta ter “sorte” e não prestar atenção nela, não estar preparado para abraçá-la.

image
Abundância de bolinhas!