Pequenas irritações do dia-a-dia: com ou sem gelo? 3


Quando somos crianças, uma das primeiras coisas que aprendemos são as sensações. Saímos do quentinho do útero da mamãe: frio. Mamãe de volta: quente. Comida quente, bebida fria.

Então crescemos. Crescemos e aprendemos que gelado irrita garganta, que muito quente queima a língua. Aprendemos leis da física, aprendemos química, aprendemos relações de causa e efeito – botar no fogo esquenta, botar gelo esfria. Nossa, já faz décadas que sei disso!!

Aí chego na lanchonete ou no restaurante e peço minha bebida sem gelo. E toda vez acho que o/a atendente acha que tenho cara de imbecil, porque sempre ouço a mesma pergunta:

– Tem certeza? Vai vir quente.

Maluco… se eu quisesse gelado, pedia pra botar gelo. Eu sei que sem gelo, não vem gelado… não é por isso que peço pra vir sem gelo? Caaaaara…

– Mas nem duas pedrinhas de gelo?

O copo com gelo virou padrão: a bebida sai do freezer fresquinha (não geladona, grazadeus), e alguém presume que eu quero acrescentar gelo. Não, obrigada. Não gosto. O dente dói, a garganta dói. E eu SEI que sem gelo vai vir na temperatura que eu quero…

E vocês? O que irrita vocês no dia-a-dia?


3 pensamentos em “Pequenas irritações do dia-a-dia: com ou sem gelo?