Como tornar seu dia inesquecível, parte 3


Então você leu as duas primeiras partes de ‘Como tornar seu dia inesquecível’. E você não se aguentou de curiosidade e foi para o post original, mas você voltou aqui porque curtiu minha maneira de interpretar as dicas (afinal, você é brasileiro, você tá tão precisando de autoajuda quanto eu, enfim). Então segura que agora vem a parte três. Olha:

  • Ajudar alguém – O post original fala sobre quando você tem um impacto positivo na vida das pessoas. Fala sobre ajudar os outros a serem felizes. Tudo muito lindo, mas às vezes a pessoa não quer ser ajudada. Às vezes a gente está apenas se intrometendo na vida alheia. E aí? Minha sugestão: este item só vale se a pessoa ajudada agradecer.
  • Participar de algo em que você acredita – …o que pode ser qualquer coisa: associação de moradores do bairro, igreja, ONG, blog coletivo… engajamento em coisas que você gosta dá um gás na vida, sabe? Ainda mais quando você consegue participar de forma profissional, quero dizer, ganhando dinheiro e vivendo de algo em que você acredita. Dá gosto. Já tentou?
  • Os velhos amigos – Sabe aqueles papos com a melhor amiga de infância? Aquela cervejinha inocente com algum amigo de longa data que você não vê há tempos? Então. Isso faz qualquer dia ser mais legal.
  • Fazer novos amigos – Por que não? Mas vale lembrar duas coisas: uma, networking não é necessariamente fazer amigos… e duas, novos amigos aparecem naturalmente (ou seja, “sair para fazer amigos”, “Fazer um curso para fazer amigos” não necessariamente vai funcionar).
  • Fazer algo do qual você possa rir depois – Sim. Diversão, piadas internas com o marido / amigos / família… rir é legal e faz bem, rir depois prolonga os efeitos benéficos do riso.

Ainda falta mais uma parte. São 20 coisas para tornar os seus dias inesquecíveis. Mas e as tarefas diárias? Tá fazendo? Tá virando hábito?

    * Alongamento – você tem feito? Cara, não leva cinco minutos. Dá uma alongada na coluna, nos braços e nas pernas quando acordar, enquanto estiver se espreguiçando. Faz um bem danado. Se puder fazer isso de cara pra janela, melhor ainda.
    * Agradeço tudo o que tenho – você tem agradecido? Você tem um lugar pra morar, acesso à internet, tem saúde, já é o suficiente pra agradecer. Se você tiver um marido como o meu, uma família como a minha e um emprego que te pague pelo menos as contas e tenha um ambiente legal, você TEM QUE se sentir grato.
    * Penso em como quero que seja meu dia – ando falhando nessa, não tenho imaginado muito as coisas boas que quero que aconteçam. Lembro só de vez em quando, quando pressinto problemas…
    * Visualizo dinheiro entrando na minha conta – olha, isso tá até legal. Não está funcionando tanto quanto eu queria, mas Estou a caminho de chegar na soma que acho ideal para viver com conforto e poder bancar cursos, viagens y otras cositas más.
    * Penso na casa que quero ter – E essa, agora? Tenho esquecido também.
    * Me visualizo pesando 61kg (e coradinha, com saúde) – Aaaah, deixa eu te falar: suplementos de ferro e o feijãozinho delícia do marido têm feito milagres pras minhas bochechas, agora rosadas.
    * Digo pra Cid o quanto eu o amo (essa eu sei que funciona, tá mais pra ‘ação e reação’ do que pra ‘lei da atração’!) – Sim!
    * Organização e produtividade: faço uma lista das tarefas das quais preciso dar conta (de ‘responder e-mail de fulano’ a ‘passar no hortifruti’), faço as mais rápidas e simples primeiro, não disperso enquanto não terminar (essa eu sei que funciona também!) – Sim!
    * Entro em contato com minha família (e-mail, telefone ou sinal de fumaça) – Isso faz bem. Família são aquelas pessoas que seguram sua barra, não importa o que aconteça.

E você? Tem trabalhado para que sua vida seja a que você sempre quis? Pensar positivo adianta pra você? Me conta aí.