Hello, my baby! Hello, my honey… 4


Este blog tem dez anos de idade. Juro. Mas como mudei de endereço várias vezes (e em algumas delas acabei perdendo os arquivos), dificilmente vocês, que estão lendo este post, acompanham isso aqui desde o início. A verdade é que eu era especializada em falar abobrinha, curiosidades sobre desenhos animados, tosqueiras da internet e afins. Sempre tinha um comercial japonês, um rockstar que, por acaso, foi visto nos créditos de algum desenho animado bacana, um clipe bizarro, uma notícia nerd. Hoje, o tempo está um pouco mais escasso do que há anos atrás – trabalho full time, e agora tem a dedicação à cara-metade (que é um prazer, aliás!) e alguma dedicação a atividades físicas, porque o metabolismo depois dos trinta já não é o mesmo. E tem os projetos para o futuro, que precisam ser plantados agora. Ou seja, complica marcar presença todo santo dia.

Ultimamente, tenho escrito algumas coisas interessantes sobre a matemática das vendas de música digital, crowdfunding para projetos criativos e sobre quem paga a conta do conteúdo grátis.

Mas eu sei que vocês vêm aqui porque querem ver a gente tocando clássicos da minha, da sua, da nossa infância no ukulele. Se você lembra do desenho do sapo que cantava (ou se vocês lembram do alien em ‘Spaceballs’ – valeu, BoiMarinho!), é capaz de curtir isso aqui:


http://www.youtube.com/watch?v=JevYkVxsMwQ

Mamãe já aprovou. Falta você.


4 pensamentos em “Hello, my baby! Hello, my honey…